Sobrasa lança campanha de prevenção de afogamentos em piscinas

Sobrasa lança campanha de prevenção de afogamentos em piscinas

O verão chegou e, junto com ele, uma ameaça iminente: o risco de afogamentos e de mortes causadas em piscinas, praias, rios, lagos, açudes e represas. Segundo o Dr. David Szpilman, diretor-médico e fundador da Sociedade Brasileira de Salvamento Aquático (Sobrasa), só no Brasil 20 pessoas morrem afogadas todos os dias e o afogamento é a segunda causa de morte em crianças de um a nove anos de idade e a terceira, entre dez e 19 anos.

Os afogamentos em piscinas representam 53% de todos os casos de afogamento entre crianças, na faixa etária de 1 a 9 anos. Por isso, a Sobrasa através de sua diretoria -formada em sua maioria por representantes do Corpo de Bombeiros em todo o Brasil – trabalha, cada vez mais, na prevenção. A campanha PISCINA + SEGURA está sendo lançada esta semana em todo o país, com o objetivo de passar informações, conscientizar a população e reduzir os índices de afogamento e mortes neste verão, principalmente em piscinas.

David Szpilman explica que com apenas cinco atitudes, já é possível aumentar em 95% a segurança nas piscinas residenciais, de clubes, hotéis, academias e condomínios. “É como uma vacina contra o afogamento. Adote essas atitudes e você estará fornecendo grande proteção e segurança aos seus filhos”, incentiva David.

  1. Tenha 100% de atenção no seu filho e o mantenha sempre à distancia de um braço;
  2. Cobre a presença permanente de um guarda-vidas em piscinas coletivas;
  3. Saiba como agir em casos de urgência;
  4. Cerque as piscinas, restringindo o acesso de crianças;
  5. Use ralos anti-sucção e meios de interrupção da bomba da piscina.

Para os pais, são três as recomendações principais: aprender como agir em emergências aquáticas, não estar a mais do que um braço de distância da criança mesmo na presença de um guarda-vida e restringir a entrada das piscinas residenciais com o uso de grades ou cercas, instaladas a uma altura que impeça crianças de entrarem no recinto da piscina sem estarem acompanhadas de um adulto.

Para estabelecimentos como clubes, hotéis e condomínios, a orientação da Sobrasa é adotar sempre ralos anti-aprisionamento e também um sistema de desligamento da bomba, caso necessário. Além disso, deve-se ter sempre a presença de um guarda-vidas habilitado para o trabalho de prevenção e socorro aquático.

Fonte: Segs.com.br

0 respostas

Deixe uma resposta

Want to join the discussion?
Feel free to contribute!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *